Modelo de Schelling

Recentemente fui introduzido às simulações baseadas em agentes em uma disciplina de computação. Pelo (pouco) que eu li esse tipo de simulação é bastante usada para estudar o quanto a combinação de ações micro podem definir tendências macro em sistemas que podem ir de uma caixa de areia até o comportamento de acionistas no mercado financeiro.
Uma das tarefas da disciplina foi escrever uma versão simplificada do Modelo de Segregação Racial de Thomas Schelling.

A ideia geral do modelo (e desse tipo de simulação) é definir cada célula de uma matriz como um agente que possui um estado cuja alteração está depende de regras que possuem relação com as células vizinhas.
No modelo de Schelling, portanto, um agente pode estar feliz, caso tenha uma quantidade n de vizinhos semelhantes a ele, ou triste caso contrário. Um agente feliz permanece onde está enquanto um que está infeliz tenta se mudar aleatoriamente em busca da felicidade.

Talvez pareça que esse modelo seja tão simples a ponto de não ser adequado para estudar a realidade e talvez seja quando os agentes supostamente são famílias humanas, mas pude notar que esse tipo de simplificação funciona bem em áreas como ecologia.
Todavia, o objetivo (por enquanto) não é receber um Nobel pelo código. A ideia é apenas notar os padrões e creio que para isso o código está ótimo.

[VID COD02]

Anúncios

Comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s